Dia da Amazônia (5/9)


Foto: iStock

Hoje (5/9) é marcado no calendário o Dia da Amazônia, data instituída após Dom Pedro l decretar a criação da Província do Amazonas (atual Estado do Amazonas) em 1850. A celebração tem como objetivo chamar atenção das pessoas para a importância da maior floresta e da sua biodiversidade para o Planeta e todos que habitam nele. Para entender a proporção do bioma, com 7 milhões de quilômetros quadrados, sendo 5,5 milhões de floresta, a mata é essencial para o equilíbrio ambiental e climático de onde vivemos. Além disso, a floresta é refúgio para uma média de 40 mil espécies de vegetais, 427 mamíferos, 1.294 aves, 378 répteis, 400 anfíbios, 100 mil invertebrados e 3 mil de peixes de água doce.
As últimas notícias em relação à Floresta Amazônia não são nada positivas. Recentemente, a falta de controle com as queimadas deixou uma marca eterna no patrimônio brasileiro. A repercussão começou após um escurecimento do céu de São Paulo no meio da tarde, que chamou a atenção não só dos brasileiros, mas do mundo inteiro, levantando o foco às queimadas que estavam acontecendo no Norte do país. Mesmo após tantas divulgações e informações sobre o quão prejudicial as queimadas são, parece que o problema ainda não foi percebido. Até o terceiro dia de setembro, segundo o sistema de monitoramento de focos ativos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), já são 980 focos de queimadas na Amazônia, 100 a mais em comparação ao ano anterior. As queimadas não começaram ontem, os incêndios na Amazônia acontecem há tempos, mas isso não justifica nem significa ser normal.
O exagero nas queimadas está resultando em inúmeros impactos na nossa biodiversidade, além das mudanças climáticas. Pensando no motivo principal dessa data, vamos refletir sobre a Amazônia. Tem ações que não são mais reversíveis, mas que podemos buscar melhorias. Para ajudar na preservação comece tomando atitudes práticas no seu dia a dia. Acompanhe algumas sugestões:

1. Consumo responsável: um dos atos mais prejudiciais, e que influencia nas queimadas, é o desmatamento, na maioria das vezes, ilegal. Podemos não perceber, mas de certa forma contribuímos com isso, pois se existe extração ilegal de madeira, é porque existe demanda. Para controlar essa situação, além de economizar no gasto de papel, é importante questionar a origem da madeira utilizada nos móveis ou assoalhos. Para certificar a legalidade de seu móvel, procure o selo do Conselho de Manejo Florestal (FSC), casa não o veja, pergunte e tenha certeza de estar comprando somente madeira legal.

2. Preservar o meio ambiente: evite o desperdício, economize água e energia elétrica, separe o seu lixo e nunca se esqueça: lixo apenas nas lixeiras. São pequenas ações do dia a dia que se cada um realizar, no final teremos resultados positivos não só para a Amazônia, mas para todo o Planeta.

3. Doações: existem ONGs e projetos que trabalham em prol do meio ambiente e da Amazônia, e aceitam doações em dinheiro para auxiliar no seu trabalho. Se você tiver interesse em ajudar dessa forma, é válido pesquisar programas nesse estilo.

4. Compartilhe: hoje temos as redes sociais que desempenham um importante papel de compartilhar informações com o mundo inteiro, que tal aproveitar desses meios para influenciar pessoas em prol da Amazônia? Mostre sua indignação, converse e dissemine as informações. Quanto mais pessoas saberem da realidade, mais alto será o pedido urgente de ação. Só não se esqueça de sempre verificar a veracidade dos conteúdos, compartilhe apenas o que você tiver certeza que é verdade.

5. Participe assinando as petições a favor da Amazônia: uma petição criada pela WWF (World Wide Fund for Nature) pede que a Amazônia seja uma questão tratada com emergência por toda agenda global para acabar com o desmatamento e proteger as florestas. Participe você também deixando a sua assinatura no site https://www.wwf.org.uk/save-the-amazon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>