Dia do Mar (12/10)


Hoje (12/10) é comemorado o Dia do Mar, uma iniciativa da Convenção das Nações Unidas sobre os direitos do mar. A comemoração entrou em vigor no dia 16 de novembro de 1994 e vem sendo adotada por vários países. No Brasil, está no calendário no dia 12 de outubro. O intuito da data é alertar a todos sobre a importância da preservação dos mares que, junto com os oceanos, guardam mais de 90% de toda a água que temos. Como você já viu por aqui, a água é um recurso natural fundamental para a sobrevivência e bem-estar de todos os seres vivos, é importante para o equilíbrio do planeta e compõe diversas das belezas naturais.

Por falar em mares e oceanos, você sabe diferenciar os dois? Fica aqui uma curiosidade, a maioria das pessoas costuma os descrever como sinônimos, mas saiba que existe diferença entre eles. Separamos as três mais importantes para não confundir mais: 1) a maior distinção está na extensão territorial, os mares são intensamente menores que os oceanos, algumas vezes podem até fazer parte deles. 2) em geral, os mares são limitados ou cercados quase que totalmente por continentes, enquanto os oceanos não. 3) a profundidade dos mares, por serem menores e ligados aos continentes, apresentam uma menor distância entre o fundo e a superfície, já os oceanos são intensamente profundos.

Mar ou oceano, ambos são responsáveis por recursos que são considerados patrimônios naturais e econômicos do país. Nos últimos anos, desperdícios, poluição, degradação ambiental e exploração excessiva são ações do homem que estão comprometendo esse bem. É preciso cuidado e a sustentabilidade começa em casa! Acompanhe 10 atitudes que podemos aplicar no dia a dia para preservar mares e oceanos:

– O plástico é o principal vilão dos mares e oceanos. Cerca de 10% do lixo produzido é plástico, e praticamente nada é reutilizado. Para decompor esse material, é necessário, em média, 450 anos e, mesmo após o período de decomposição, as sacolas, garrafas e canudos nunca se degradam por completo. O plástico se quebra em pedaços cada vez menores, circunstância chamada de microplástico, cujas pequenas partes param nos oceanos e impactam a vida de mais de 600 espécies marinhas, sendo que 15% estão ameaçadas de extinção.
– Separe o lixo reciclável. Adquirir esse hábito será um passo enorme para contribuir com o meio ambiente.
– Tenha um consumo consciente, só compre o que for necessário. Isso reduz a quantidade de itens manufaturados que acabam parando nos mares e oceanos.
– Se você é fumante, não jogue as bitucas de cigarro na rua. Filtros de cigarro têm, em sua composição, milhares de substâncias químicas, que podem parar no mar e matar peixes e outros animais marinhos.
– Tente utilizar menos o carro e faça o consumo consciente de água e energia. A queima de fósseis como petróleo, gás e carvão acelera o aquecimento global. Com oceanos mais quentes, o habitat marinho sofre inúmeras mudanças.
– Escolha produtos e alimentos que não exploram a vida marinha. A pesca excessiva e o uso dos animais em produtos são responsáveis pela extinção de diversas espécies. Também exija das marcas e empresas que diminuam o volume de suas embalagens e utilizem materiais biodegradáveis.
– Pesquise sobre a exploração oceânica, apoie organizações e campanhas de proteção ao habitat marinho e compartilhe seus conhecimentos com outras pessoas. É preciso juntar forças para promover mudanças significativas no meio ambiente.
– Não descarte o óleo de cozinha no ralo. Armazene o resíduo dentro de uma garrafa PET, após enchê-la, procure empresas e ONGs especializadas nesse tipo de coleta para descartar de forma correta. Se você quiser reciclar em casa, uma das alternativas é produzir o próprio sabão através do óleo de cozinha usado.
– Use menos produtos químicos para limpar a casa. Opte por produtos biodegradáveis.
– Cuide do seu animal doméstico com responsabilidade. Os resíduos das caixas de areia dos gatos, por exemplo, são extremamente perigosos para a vida marinha. Faça o descarte correto e nunca os despeje na privada, já que eles vão parar no mar ao longo da cadeia de esgotos. E ao comprar a ração, tenha certeza de que o produto está livre de ingredientes que não sejam ambientalmente responsáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>