2020 vai ser o ano dos veículos elétricos


Foto: iStock

Os veículos elétricos, chamados também de veículos “verdes”, estão cada vez mais ganhando destaque nas ruas, principalmente na Europa. Apesar da popularização recente, a produção deles iniciou em 1977, no Japão. Nos veículos elétricos, tanto nos modelos movidos exclusivamente por eletricidade, quanto os com sistemas híbridos, é substituído o motor à combustão por um elétrico. Como não queimam combustível, é considerado uma opção sustentável para o meio ambiente, além de não emitirem nenhum barulho, dando a impressão que o carro nem ligado está.
Existem dois modelos no mercado: os elétricos, movidos exclusivamente por eletricidade e baterias recarregáveis. E os híbridos, que misturam combustíveis tradicionais e eletricidade. Neste caso, o veículo ainda tem um motor de combustão convencional, mas este funciona apenas para recarregar a bateria, o que faz andar é a eletricidade.

Noruega é o País com a maior taxa de utilização de veículos elétricos do mundo
A Federação Norueguesa de Estradas divulgou, no começo deste mês, que os veículos movidos a eletricidade representaram 44,3% das vendas de carros novos na Noruega no primeiro mês do ano. Esse resultado coloca o País com a maior taxa de utilização de veículos elétricos do mundo, um aumento de 6,5% em relação ao início de 2019, quando as vendas desse tipo de automóvel chegaram a 37,8%. O aumento nas vendas dos carros elétricos facilmente se explica com os benefícios que o governo concede para quem investe nessa tecnologia. Entre as vantagens estão isenção de impostos, permissão para utilização de faixas restritas ao transporte público e a gratuidade em alguns pedágios.

Carros elétricos no Brasil
Apesar de várias marcas já terem lançado veículos elétricos e híbridos no Brasil, o País ainda está desenvolvendo a estrutura para essa novidade. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) recebeu 38 propostas de soluções em mobilidade elétrica eficiente. No total, estão previstos R$ 616 milhões para o desenvolvimento de algumas ideias. Mais de 16% do valor anunciado foi obtido por recursos externos ao programa.
Dentre os projetos, um dos principais, oficialmente anunciado em outubro de 2019, é um inciativa que pretende formar um corredor de carregadores elétricos entre Espírito Santo e Santa Catarina. O projeto começa no Estado de São Paulo, onde 30 aparelhos de recarga ultrarrápida serão instalados até 2021, se ligando a eletropostos já existentes no Espírito Santo e na Rodovia Dutra.
Esses carregadores podem abastecer 80% da bateria de um carro em 30 minutos. O corredor de carregadores elétricos se estenderá até Santa Catarina, passando pelo Paraná, totalizando mais de 2,5 mil quilômetros e um investimento de R$ 32,9 milhões. Além disso, o governo brasileiro oferece algumas isenções para tentar promover a venda de carros elétricos. No Paraná, por exemplo, o proprietário de um carro totalmente elétrico não precisa pagar IPVA.

Cinco curiosidades dos carros elétricos:
1. Não precisa de combustíveis: diferente dos automóveis convencionais, o motor do elétrico é alimentado por eletricidade armazenada em baterias. Logo, o abastecimento com combustíveis é dispensado, além do valor ser mais em conta, é uma vantagem para o meio ambiente.
2. Recarregue seu carro como um celular: assim como seu celular desliga ao acabar a bateria, o mesmo acontece com os veículos elétricos. A autonomia de um veículo elétrico depende da quantidade de baterias que ele tem, sendo que cada uma pode rodar aproximadamente 80 km. Para evitar perrengues, sempre confira antes de sair se no seu trajeto tem recarga, também vale saber que existem modelos de carros que permitem o carregamento em tomadas domésticas convencionais.
3. Não tem ruídos: o veículo elétrico quase não tem ruídos, se você não prestar atenção, nem perceberá que o carro já está ligado.
4. Sustentável e econômico: ser sustentável é uma das principais vantagens do motor elétrico, já que não há emissão de poluentes. Além disso, especialistas indicam que o uso dessa tecnologia pode gerar economia de até 3 mil por ano, quando comparado ao gasto com gasolina.
5. Manutenção barata: esses veículos são mais caros que os convencionais, mas acabam compensando com o valor gasto para “abastecer” e as manutenções. Eles têm baixo custo de manutenção e são mais duráveis, pois como são menos peças e acessórios, o desgaste mecânico é muito menor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>